Início » Nossa história

Nossa história

A Flor de Ouro Vida Natural teve seu início no começo dos anos 80, com seus fundadores inspirados, no ideal de viver mais comunitariamente, na natureza. Nessa época, o ideal de viver na terra estava fortalecido pelo ENCA (Encontro Nacional das comunidades) Esse encontro ocorre sem interrupções, até os dias de hoje, na lua cheia de julho…

Acredito que um dos motivos que levavam muitos a buscarem essa opção de vida, tenha sido a ditadura, que tornou a vida urbana muito mais cinzenta, e repressiva.

Quanto á mim, estava motivado pela paternidade recente, além de que desde essa época acreditava que a sociedade industrial não é sustentável a longo prazo, que poderá quebrar, pelo fato de não ter uma visão baseada na interdependência entre os seres.

Também por causa de interferir no eco sistema, de forma violenta, bombas, produtos químicos, e muito, muito lixo, além da exploração excessiva do petróleo, que por si , poderá causar impactos profundos no comportamento do planeta terra, além da superpopulação e mais uma lista de problemas, que se acumulam, sem que de fato se tomem providencias, á nível de governo, pelo fato de que esse tipo de política que aí está, não estar preparada para lidar com fatos e problemas que até então não existiam, digamos à 100 anos atrás…

Apesar de não estar fugindo de nada, pois antes de tudo para se viver na natureza é preciso gostar, creio que esse quadro de crises tende à aumentar, pois não vejo que há um movimento forte em direção à outros valores.

A mudança, se houver, será talvez, movida pelas forças naturais, na forma de catástrofes, que levem a raça humana rever alguns de seus métodos.

Na verdade foram muitas as razões que nos levaram à viver, no campo, além do privilégio de morar à beira de um rio; limpo…

Tudo isso já faz um tempo, e muita água ainda irá passar pelo rio da Flor de Ouro.

Quando chegamos à terra que havíamos comprado, não existia nem um tipo de estrutura, e isso por um lado, foi bom, pois passamos a criar algo sem ligações com o passado, partindo apenas do apoio dado pela natureza.

À principio vivemos acampados, enquanto construíamos a primeira casa… Nossa cozinha era embaixo de uma arvore, na beira do rio.

Com o tempo, percebemos que as pessoas gostavam de nos visitar, pela beleza do lugar, e aos poucos fomos nos acostumando a ser um lugar onde passam pessoas, realizar pequenos e médios eventos, e receber pessoas afinadas com nossas propostas.

Passamos a trabalhar com saúde preventiva e aprender várias práticas, como: sauna à beira do rio , argila, massagem, limpeza de vesícula e intestinal, comida vegetariana, jejuns, dietas musica-terapia e o uso de plantas medicinais e com poder de cura.

Fomos percebendo que o lugar, por si ajuda essas práticas, por estarmos envolvidos pela mata, a água muito limpa, animais, enfim, um lugar totalmente natural e muito agradável.

Nossas casas são muito simples, como nosso dia à dia, recuperamos um lado primitivo, sempre buscando harmonia com a natureza, um pouco como índios modernos, buscamos o melhor de cada cultura, inclusive á cultura espiritual do oriente, sem sectarismos.

Por não sermos radicais ou sectários passamos a ser referencia de um lugar livre, onde as pessoas são respeitadas nas suas crenças, desde que não nos imponham sua visão do mundo. É um lugar para dar um tempo, relaxar, desprogramar, se cuidar, celebrar,tomar banho de rio, tocar, cantar, jejuar, harmonizar, se transformar e todos os verbos que valem a pena praticar.

Não pensávamos trabalhar com essas práticas quando viemos pra cá, como já disse: foi sendo sugerido pelo lugar e pelas pessoas que passam, que também foram nos ensinando, numa troca de vivências. Considero-me bem sucedido, em vários aspectos, porque creio que os tempos mais difíceis já passaram, e estamos em vários níveis criando riquezas, porque tudo é riqueza, desde o ar que respiramos, ao fato de tomarmos banho de rio todos os dias, a saúde, os filhos numa boa, amigos, a música, o sol, a lua, termos tempo para fazermos coisas que gostamos, etc.

Também realizamos o parto de nossos filhos, o que tem sido uma experiência muito especial, pois creio que tudo faz a diferença, inclusive a forma como viemos ao mundo… Fomos nos tornando auto suficientes em muitas coisas, como cuidar das crianças, cozinhar, fazer o pão, fazer nossas casas, plantar, pensar por si mesmo e sentimos que dependemos mais da natureza, do que do sistema. Não somos contra alguma tecnologia, neste momento estou escrevendo num computador, temos um carro, energia elétrica, equipamentos de música, dvd, porque com o tempo essas coisas foram surgindo, e realmente facilitam a vida, mas na maior parte do tempo, vivemos sem nada, absolutamente nada dessas coisas, e foi um tempo muito bom.

Mas, tudo se transforma…. e neste momento as possibilidades cresceram , temos uma certa estrutura que nos permite realizarmos pequenos e médios eventos, e para isso necessitamos ampliar a nossa equipe, possivelmente com novos moradores, pois não queremos contar com esquema de empregados permanentes.

Talvez iremos dispor de algumas áreas para abrigar essas pessoas, gerando um capital para investimento, na estrutura, e em agricultura orgânica de subsistência. Sinto que é hora de encararmos novas parcerias, até pelo fato de que não damos conta de cuidar de tudo, com o pessoal disponível. Sentimos que poderíamos ser uma eco-vila, compondo com a mata e os rios, tudo muito orgânico e natural, simples e bonito, como já é …com mais crianças…

Surydas